Benefícios adicionais da Barreira de Ar contra insetos em áreas de alimentos

Linha de Producao Elmar Gubisch - Pragas e Eventos
Foto: Elmar Gubisch

Olá caro leitor, do mercado de alimentos e/ou ambientes de fabricação / embalagem e convivência  bem protegidos – onde a isenção de contaminantes é requisito obrigatório para oferecer segurança e saúde ! E Prestador de serviços de saúde – atenção !  

Num texto anterior que publicamos da série Pragas & Eventos – Técnicas de proteção a produtos com Segurança de Alimentos cumprindo protocolos Food Safety – iniciamos a conceituação abordando a responsabilidade em dispor de barreiras mitigando os riscos não só de partículas e impurezas contaminantes, como também de insetos aéreos que disseminam doenças ao ser humano.

A sinergia de instalação de uma barreira contínua de ar descendente nos pórticos de acesso – em correspondência com armadilhas luminosas atrativas bem posicionadas , mitigam de forma eficaz os riscos e os pontos críticos à integridade de alimentos e fármacos produzidos em processos que requerem  zero possibilidade de falha nas operações ao longo das cadeias fabris e de manipulação .

A aplicação de auditorias cada vez mais exigentes em sistemas fármacos / cosméticos / alimentícios e de embalagens primárias requer por sua vez, a adoção de estratégias idem cada vez mais aprimoradas . É inexorável essa evolução em prevenir desvios , erros e discrepâncias . É muito patente o surgimento de uma nova ‘escola’ de inspeção , bem mais atenta aos itens mandatórios estatutários , pesquisando detalhes pertinentes à integridade humana e confiabilidade de projetos , equipamentos e sua validação . 

Cabe a nós especialistas em Food Safety , registrar a importância de dar alerta aos usuários não atentos a essas minúcias , na vantagem do “esse guramento das seguranças”  quando se unem numa etapa crucial do processo várias formas de contenção de riscos . É somatória de técnicas de controle para multiplicar um processo feito e bem feito , com as melhores práticas de Boas Práticas – O Good Manufacturing Practices.      

Já é amplo e sabido que a junção da eficácia da corrente de ar acima de 2,5 m/s num acesso , junto com adoção de armadilhas luminosas adesivas estratégica e devidamente instaladas , proporciona ótimo resultado na minimização de possíveis contaminações por aerodispersóides e nefastos insetos e seus fragmentos .

São 5 a seguir na ilustração , as proteções alcançadas: 

f udv7dMIWdLYpboDHxx8nvaoZkDD72wZn8B3Cm4H5wwGDiBK0Ygum7GfKCanG22c8fK3oxc5Ux0H74Gx FzOTygvuMb9 PBSnORHABEUPfwEToUYy qdbrDUlrGbuwG jCKmL vLk6y0GaSUflihw - Pragas e Eventos

Novamente reforçamos ao já anteriormente colocado no artigo I da 2A+ Alimentos , o conceito que a Cortina de Ar proporciona na aeração , uma separação de áreas – uma divisão das ‘massas internas e externas de ar’ , formando como próprio nome cita rs – uma ‘cortina divisória de 2 ambientes’ com temperaturas diferentes . Os insetos voadores sofrem uma redução significativa de reprodução em temperaturas mais baixas – o mesmo que ocorre naturalmente por exemplo , no inverno em sua constante sazonalidade . 

A cadeia de baixa temperatura exigida normalmente nos ambientes de alimentos e fármacos , precisa ser mantida . O uso da Cortina de Ar é adotado em armazéns / lojas / shoppings  / espera de drive-thru / frigoríficos / laticínios / restaurantes / catering / praças de alimentação / supermercados , conveniências / áreas sensíveis . E até ambientes técnicos de informática e ótica requerem Cortinas de Ar filtrado e monitorado , quando não – pressão positiva em estágios , controlada . 

Um ambiente higiênico com redução de temperatura , terá menor proliferação microbiana incluindo de patógenos; O shelf life do produto é estendido e o frescor dos alimentos exaltado.

Uma Cortina de Ar regulada mantém a ‘massa de ar’ interna circulante na temperatura requerida pelos padrões higiênicos de conservação da legislação sanitária e reduz perda de carga térmica fria ! O obrigatório monitoramento periódico das temperaturas de balcões e setores refrigerados é exigido por lei e regido por critérios delimitados: 

979MVgICoXvaABrg S d0UeysSLkFgFRFs5e3rCtLgN zTqDIbglxte26xwTQ1QibuMfq68BmLG10WugAv4n1kgVH0NS92oR9Ajx2vQ ZGva3XY9QZudsdz5QbhWJ - Pragas e Eventos

Os riscos de perigos físicos (partículas em suspensão como pó e fragmentos de alados) e biológicos (microbiota geral de áreas abertas não protegidas) precisam ser identificado pelo HACCP e criados protocolos técnicos de contingenciamento . A sinergia de dois sistemas – Cortina de Ar e Armadilha Luminosa Adesiva  – constituem ótimo contexto de aliar 2 ou mais técnicas em prol do Alimento Seguro . Mostra que o processo de Cultura para a Segurança do Alimento é dinâmico , constante e profícuo . Como exemplo : portas rápidas acopladas de acionamento automático por sensor , por sua vez só vem aumentar a eficiência do sistema ! Já temos aí somatizados 3 recursos técnicos !

No nosso próximo artigo aqui na Pragas&Eventos , abordaremos a questão dos relatórios de performance e tendência de captura de insetos advindos das placas adesivas quadriculadas das Armadilhas Luminosas . Mais uma   faceta que se integra às Cortinas de Ar , proporcionando junto ao o Controle de Pragas Inteligente , credibilidade de um alimento com saúde plena ao consumidor . A lista abaixo de vantagens é evidente :             

5iZ1az JPQVsGnNh4WRC4shkf1VUmv1zSebp9h4Jhm0c ERjBRHY30XCEw69auR5jSZKRlWA bWRtY4HcyVcoDkU1F4mC9sXTnXxUYp2K7IDbzQx2er1BBRKLp8SMckQEio3Ru - Pragas e Eventos

A validação das ações em proteger o alimento – a segurança de etapas que não permitam dano ou agravos são absolutamente indispensáveis . A Cortina de Ar atende : (1) ser barreira de particular; (2) manter mais baixa temperatura;  que por sai vez (3) reduz insetos voadores; (4) que preserva o alimento / processo perecível; (5) atesta / evidencia ações preventivas.      

 A Dra. Samantha Freund de Carvalho – MSc em ciências UNIFESP , especialista em Direito Sanitário pela UNICAMP , graduada pela Univ. S. Judas Tadeu , docente no Colégio Práxis, Estudante Nível Hard e atuante na Tria Consultoria e Treinamento, com vivência na COVISA , Univ. de Guarulhos, e há mais de 19 anos eminente na área alimentar, reforça a prioridade de implementação de sistemas de Boas Práticas na análise diagnóstica para cumprir os padrões sanitários vigentes nos estabelecimentos.

Cursos atuais em risco sanitário e peritagem evidenciam a necessidade mandatória de atualização contínua em ferramentas conhecendo microbiologia / parasiologia / segurança dos alimentos e DTHAs para solidamente ampliar e implantar Food Safety sério nas empresas de alimentos , os deus  afins e nas ‘cadeias’  de seus prestadores de serviço ! Tudo integrado numa grande ‘teia’ breve crescente interativo metaverso .

Aplicações industriais e Food Service:       

7KZjX584Fe1Eg0qRBjy - Pragas e Eventos

O depoimento da profª e consultora perita fica aqui enunciado: “Para bases do Food Service e estendendo à Indústria , visualizo 3 aspectos positivos na utilização da Cortina de Ar :

  1. Salão / Área de Vendas: preocupação com o bem estar do cliente quando instalada na entrada no estabelecimento, deixando agradável a T° interna e obviamente impede a entrada de pragas, especialmente insetos voadores .
  2. Cadeia de frio: próximas a entrada de câmaras frias (resfriada e congelada), facilita o processo de carga e descarga, conservando a T° no interior da câmara, contribuindo portanto com a segurança do produto . Época de campanhas de Chocolate requerem .  
  3. Manipulação de alimentos: auxilia na climatização do ambiente, conforto térmico do funcionários , impedindo a entrada de ar quente e insetos. A Cortina de Ar ainda colabora para que a T°nessas áreas sejam mantidas baixas – neste caso trazendo benefícios para a manipulação de alimentos. A Legislação Sanitária prevê maior tempo de manipulação em áreas climatizadas, passando de 30 minutos / lote para  2 horas / lote ( ! ) em área com T° controladas  entre 12ºC e 18ºC. (Portaria SMS 2619 / 2011) .  

Importante ressaltar é o foco no alimento e o beneficio  que T° baixas podem proporcionar à manipulação de alimentos. O Binômio Tempo X T° é o fator extrínseco mais estudado e significativo quando tratamos em Food Service. As  T° baixas inibem o metabolismo microbiano e afetam a multiplicação (porem não matam microrganismos). (Silva Jr. ; 2015) . As T° baixas diminuem a velocidade da multiplicação bacteriana, como vemos abaixo :

image - Pragas e Eventos
Fonte: Jaccob; 1989.

E continua : O tempo de geração de bactérias aumenta de 30 minutos para 2 horas em T° ambiente mais frio (20 à 4°C) , por isso a Legislação Sanitária prevê o aumento do tempo de manipulação .  Contudo devemos nos lembrar que microrganismos psicrotróficos e psicrófilos podem se multiplicar dependo da faixa de T° e portanto especial atenção a higienização destes locais deve ser dispensada, afim de retira-los Silva Jr. ; 2015). 

É fundamental para qualquer profissional comprometido , considerar todos os aspectos do ambiente de manipulação, pensando na Segurança do Alimento. A tecnologia vem para para somar,  quando optamos pelo uso pesamos os pontos positivos e negativos. O foco deve ser  a segurança do alimento o controle de pragas, a T° bem como todos os fatores higiênicos sanitários compõe um quadro desafiador que precisa ser visto e  analisado criticamente com bases microbiológica, parasitológica, higiênica e sanitária , para então somar a Legislação Sanitária, construindo assim um sólido e seguro processo durante a manipulação de alimentos. Lembramos ainda que seguir a Legislação Sanitária é o básico e todos os estabelecimentos do setor devem segui-la, estabelecimentos mais avançados vão em busca de diferenciais como certificações e validações de seus processos, bem como a implementação de uma CSA, finaliza”.

O ‘conhecimento sanitário’ evolui em sintonia com as inovações técnicas de processos sofisticados , novos insumos e formulações, equipamentos e controles evoluídos , necessidades e conceitos explorados ao máximo . Inexorável na evolução humana . Se requer a todos nós especialistas o domínio de conceitos simples … para poder se chegar a resultados inéditos e exemplares de GMP e na nobre Ciência dos Alimentos . Nada substitui a ‘experimentação’ in loco e o ‘professorado presencial’ – caso contrário as vãs filosofias geram falácias de aparências lindas e … bastidores falhos . Os bons expertises , são da mesma forma , proficientes auditores:     

E4ftekIP1K4Y32oDBkpiz CQj5MnN vlBqwZLMpYNT6ANFAG7xn6Yuj0aFEMTuJqQgaIXucU4GoL1D0ghMl12pP - Pragas e Eventos

Os detalhes (sejam ambientes food / pharma / cosméticos) de engenharia do fabricante  dos modelos de  Cortinas de Ar Tecnolatina e versões de Armadilhas Luminosas devem ser discutidos ao máximo , num comitê ESA do HACCP para que a resultante do bom projeto se adeque perfeitamente e promova exelência de resultados em Segurança dos Alimentos  . 

Consulte , peça uma visita técnica , construa diagnóstico de sua necessidade e faça  aprendizado de Qualidade !  Breve , mais um nosso artigo técnico Food Safety , ao seu dispor .           

Conheça mais sobre Cortinas de Ar – técnicas eficazes para cumprir o Food Safety     

JDEaYBm8EX738IQopodcV24 cRXXDqToGkweb fVa86Pc7tS8gZA74SgG26aZdYGrwS - Pragas e Eventos

Prof. José Carlos Giordano – JCG Assessoria em Higiene e Qualidade

MSc Nut. Samantha Freund de Carvalho –  Praxis / Tria / Nutrição Nível Hard

Referências Bibliográficas:

BRASIL . Coordenação de Vigilância em Saúde Portaria SMS 2619, de 6 de Novembro de 2011, Diário Oficial da Cidade de São Paulo nº 227 p.23, São Paulo 06 de abril de 2011.

Silva Jr. Manual do Controle Higiênico Sanitário em Serviços de Alimentação. 7°ed: São Paulo, 2014.

Jacob, Michael & World Health Organization. (‎1989)‎. Safe food handling: a training guide for managers in food service establishments / Michael Jacob. World Health Organization. https://apps.who.int/iris/handle/10665/36870

Da Cunha, D. T., Saccol, A. L. de F., Tondo, E. C., de Oliveira, A. B. A., Ginani, V. C., Araújo, C. V., … Stedefeldt, E. (2016). Inspection Score and Grading System for Food Services in Brazil: The Results of a Food Safety Strategy to Reduce the Risk of Foodborne Diseases during the 2014 FIFA World Cup. Frontiers in Microbiology, 7. doi:10.3389/fmicb.2016.00614.        

www.tecnolatina.com.br

www.jcgassessoria.com.br

@samanthafreund