Dengue, casos autóctones merecem atenção prioritária de controle

Casos autóctones de dengue são considerados quando a doença foi adquirida dentro do Município, ou seja, o paciente não teve histórico de viagem para outros locais, isto significa que há presença de mosquitos contaminados naquela localidade onde o paciente reside ou trabalha, neste caso é importante que as ações de bloqueio sejam realizadas o mais rápido possível, evitando a dispersão do vetor.

As ações de bloqueio devem ser prioritárias nesses casos.

O bloqueio consiste na utilização de inseticida, conforme delimitação espacial preconizadas, porém além desta ação também são necessários inspeções e eliminação mecânica de criadouros. A população deve ser informada sobre o número de casos, sua localidade e as ações que estão sendo desenvolvidas, uma vez que o mosquito é domiciliado e o seu desenvolvimento ocorre em criadouros no interior das residências, para que permita o acesso dos profissionais e participe efetivamente na eliminação de criadouros.

Estas ações integradas garantem a redução do número de vetores e consequentemente o bloqueio da transmissão viral.

A preocupação maior com casos autóctones é a ampla capacidade de dispersão do vetor. Especialmente neste período do ano em que ocorre o aumento considerável das temperaturas e a frequência maior de chuvas, tornando o ambiente propício ao aumento da densidade e sobrevivência dos vetores adultos, elevando a disseminação viral. Momento em que os serviços devem ficar em alerta quando da ocorrência de casos, principalmente autóctones.

Esses ainda servem de alerta para risco de epidemia, principalmente quando os índices de infestação no Município estiverem acima do preconizado, ou seja, se já está em risco e apresenta a circulação viral aumenta a probabilidade de novos casos, de forma rápida.  

Os serviços de controle de vetores Municipais devem estar estruturados de forma a garantir as ações de Vigilância em Saúde, priorizando a notificação e investigação desses casos bem como as ações de campo em tempo oportuno, tornando efetivas as estratégias de prevenção.

Vale Verde FM entrevista especialista no combate a pragas como escorpião amarelo

A morte de uma menina de três anos e cinco meses depois de ter sido picada por escorpião amarelo repercute em Assis Chateaubriand e região. O fato aconteceu na noite da segunda-feira (15), na casa da família no Jardim Carolina. A criança estava com o pai e assistia TV quando foi picada. Rapidamente o pai encaminhou a mesma para um hospital de Assis Chateaubriand, mas em razão da gravidade ela foi encaminhada para o Hospital Universitário de Cascavel. Infelizmente ela não resistiu e faleceu na tarde de ontem (16). O corpo está sendo velando na Funerária Bom Samaritano. O sepultamento está marcado para hoje (17), às 14h, no Cemitério Jardim da Paz de Assis Chateaubriand.

Na manhã de hoje a Rádio Vale Verde FM conseguiu gravar entrevista com um especialista no combate a pragas.

Denilson Lehn, morou muitos anos em Assis Chateaubriand e hoje reside em Cascavel. É empresário exatamente no ramo de combate a pragas. Foi presidente a FEPRAG – Federação Brasileira das Associações de Controle de Vetores e Pragas Sinantropicas/Dedetizadoras e atualmente é diretor de Relações Institucionais da entidade.

Na entrevista faz alguns alertas sobre como combater o escorpião amarelo trabalho que só deve ser feito por profissionais. Explica que as pessoas podem ajudar sim, mas apenas cuidando de suas casas e quintais mantendo-os limpos assim como é feito com relação ao combate do mosquito transmissor da dengue.

Parte da entrevista irá ao ar no programa Em Cima do Fato de amanhã (18), das 7h às 8h e o material completo bastante esclarecedor vamos repercutir no programa Municípios Em Ação de sábado (20), também entre 7h e 8h.

Risco de desmoralização no Controle de Pragas

Refletindo sobre Proclamação da República e de nossa Independência, e claro! O Movimento Associativo no Brasil, e,  muitas vezes da acomodação nossa como empresários do setor do Controle de Pragas, vejo que muito do que acontece é sim por nosso acomodação em achar que alguém fará o melhor por nós, mesmo quando nós não dedicamos nosso precioso tempo ou investimos um pouco de nossa Renda, peço a licença para colocar umas perguntas? E o “por que” isso acontece? seja quando ficamos nos reunirmos para discutir, seja entre empresas da mesma cidade, da associação de nossos estados ou pela FEPRAG, convido mais uma vez a todos a fazer a diferença pelo setor de Controle de Pragas, tem mais gente querendo fazer o bem, do que contra nosso setor, mais a acomodação nos limita, convido todos a “Critica Construtiva” pode ser nos grupos que participamos, pode ser no Privado, mais vamos melhor nosso setor. Não podemos delegar nosso futuro aos Políticos temos que estar sempre juntos.

Vejo muitas manifestações sinceras de novos e antigos empresários querendo progredir, mais somente com a união é que poderemos conquistar as vitórias para nosso setor, mais temos que ter auto crítica, Limpeza e  Desinfecção de Caixas de agua por R$ 25,00, Desinsetização por R$ 30,00, isso porque não estou buscando os anúncios na internet, tipo: Cobrimos qualquer Orçamento e mais apelos, neste 22 anos já vi muita gente BOA quebrar e muitos empresários evoluírem e terem empresas de sucesso, confio muito em nosso setor e todo o bem que podemos trazer para a sociedade e será assim que seremos reconhecidos, Agentes da Saúde e dos benefícios que trazemos para nossa sociedade, temos uma missão muito maior que apenas ganhar dinheiro, que também é importante, temos que ter sempre noção de nossa importância, nós atuamos em todos os segmentos (saúde, educação, alimentos, indústrias, serviços, transportes, etc…).

Nosso problema não são as pequenas empresas que estão iniciando suas atividades ou nas grandes que não querem perder espaço, não são as empresas, está atitude de seus Diretores que tem políticas de preço equivocadas que denigrem e desmoralizam nosso setor, precisamos cada vez mais investimento em capacitação de nossos Técnicos, mais precisamos investir muito mais em nossos administradores, ensino e direcionamento se fazem muito mais com exemplos do que com teorias.

 

Roberto Julio (Piauí) “o seu texto e muito pertinente e atual e até me arisco aqui criar um trocadilho hoje e dia da Proclamação da Republica e independência do Brasil. E quando nós do setor do controle de pragas e correlatos vamos declara a nossa Independência de vender só preço?  Boas Ideias, críticas construtivas ou apontamentos do que está certo ou errado no setor, só evoluir e ” Sai da fase da crítica ou da busca das melhorias” se compartilharmos os mesmo sentimentos e Soluções. Sonhar e bom, agora realizar e bem, diferente e pra coisas acontecerem no nosso setor só será possível se nos unirmos em prol de uma só CAUSA de um só Objetivo. Porque sozinhos podemos até chegar a algum lugar, mas talvez não se sabe que lugar e esse. Um buscando essas melhorias pra o setor e só mais uma voz, mas quando nos somamos ai são muitas voz falando a mesma coisa, ” as vozes juntas terão mais forca pra ecoar por todos os cantos”, Pensem Nisso! Representatividade não se faz sozinho se faz em nome de muitos”.

Mais uma vez temos que reforçar a importância de que todos participem do movimento Associativo em suas cidades e estados, vejam o que está sendo feito para a melhoria do setor, entre e ajude a melhorar aquilo que você acredita que deva ser melhorado, não adianta reclamar e não fazer nada para mudar, e assim, sejam todos bem vindos ao Futuro e a construção do sucesso para todos.

Fraude em Licitações de Desinsetização/Desratização e Limpeza de Caixas de Água

Acompanhando algumas Licitações e observamos que muitos documentos não estão sendo exigidos para participação em Imunização e Controle de Pragas e Limpeza de Caixas de Água, muitos Prefeitos novos, a título de ampliar a Concorrência, e desta forma acabam vencendo as Licitações Empresas sem as mínimas condições de Executar os Serviços.
A pratica de preços inexequíveis lançados em pregões eletrônicos e também presenciais, não é novidade, ganham e depois buscam empresas para “Quarteirizar” os serviços, buscam alguém na cidade que lhes de cobertura na execução ou apenas peguem as assinaturas nos documentos, esse pratica ao meu ver errada de dar “cobertura” aos oportunistas de Licitação é que vem cada vez mais baixando os preços e precarizando os serviços.
Está acomodação de muitos empresários em não participar ou acompanhar, por acharem que não são prejudicados e não gostam de trabalhar com o Setor Publico, leva a acomodação e a prejuízo que ainda não foram calculados, vamos analisar rapidamente, estes “Profissionais” vem com preços que lhes darão prejuízo com Certeza, mais para cobrirem os custos fazem um rastro de mais serviços baixos, trocam almoço, combustível e hospedagem por serviços baixa qualidade e garantias duvidosas, assim atrapalhando os Clientes de todos.

Se faz necessário o acompanhamento mais de perto a execução, fiscalizando e denunciando no Observatório Social, para que possam notificar a Comissão de Licitação, Secretarias Contratantes e ao Ministério Público.

São nossas Famílias, Amigos e Clientes que ficam expostos aos Serviços de Baixa ou nenhuma qualidade, está pratica nociva a todos, mais principalmente as Empresas idôneas que não conseguem concorrer, temos o problema do mau uso do dinheiro público também, o que poderemos fazer? Como Contratar uma empresa de Controle de Pragas? Como Contratar uma empresa de dedetização, Como Contratar uma empresa para Limpeza de Caixas de água?

Vamos fornecer orientações:

1 – Denuncia, para pedir que cumpram a Leis, Normas e Resoluções
2 – Acompanhar a Execução dos Serviços ou Orientar as Escolas, Postos de Saúde, etc… de como deve ser realizado o serviço de Controle de Pragas e Limpeza de Caixas de Água
3 – Pedir Comprovantes de vínculo empregatício dos Trabalhadores, Exames ASO, Comprovar a Capacitação, Treinamentos NRs em Trabalho em Altura e Espaço Confinado

Denuncie na sua Cidade, citamos algumas ações acima mais estamos preparando Manual de Orientações para enviar para todos os Órgãos Públicos e gostaríamos de receber contribuições de todos, para tratar esse mau.

Precisamos todos trabalhar unidos em nossas Associados e fortalecer o setor.

 

Denilson Lehn – contato@pragaseeventos.com.br

Empresários do Controle de Vetores e Pragas não se comprometem com seu futuro

A luta que a FEPRAG e as Associações Regionais, que é a luta de todos os Empresários do seguimento de Imunização e Controle de Vetores e Pragas, nunca cessa.

 

Na labuta contínua, contabilizamos 3 idas à Brasília nos últimos 60 dias e na semana que vem estaremos lá novamente, com importantíssimas demandas e reuniões.

 

Nossos pleitos não são novidade para o Empresário do setor que acompanha o movimento, mas principalmente são:

 

– Regulamentação do setor por Lei;

 

– Enquadramento fiscal adequado e justo das Empresas optantes pelo SIMPLES, no anexo III, beneficiando a todos. Os que estão ainda no Anexo III, ficam regulares e que estão no Anexo IV se beneficiarão com uma redução tributária sobre o faturamento de em média 7%;

 

– Solução da Receita Federal quanto à condução dos processos já existentes e futuros em andamento sob empresas do nosso setor, acionadas por se enquadrem no Anexo III e não no Anexo IV que a Receita Federal mudou sua “interpretação da LEI” e pretende cobrar mais impostos, o que seria o equivalente a 65% do que já foi pago em Salários, Pró-labores e Benefícios aos trabalhadores. Conseguimos com muito esforço um Artigo que nos deu a Convalidação dos Débitos, após a publicação da Lei 155/2016, que convalidou os atos de nossas empresas até 27/10/2016.

 

Todos os projetos estão caminhando a passos firmes, principalmente se considerarmos o delicado momento político que enfrentamos.

 

O nosso PLC 65/2016, que está na Comissão do Meio Ambiente do Senado Federal, já ganhou o entendimento dos Senadores e do relator da matéria na comissão, em breve ira para votação assim que estiver relatada.

 

Em relação às questões tributárias, contamos com o forte e importante apoio da Frente Parlamentar da Micro e Pequena Empresa, do setor de políticas públicas do SEBRAE Nacional e inclusive com participação pessoal de seu presidente, Sr. Guilherme Afif Domingos, e de vários Deputados e Senadores fortemente ligados à causa da MPE.

 

Estamos com agenda confirmada na próxima semana, para nos reunir com o Secretário Geral da Receita Federal do Brasil e também com o Presidente do Comitê Gestor do Simples Nacional.

 

Participaremos do XXXIII Congresso Nacional de Secretarias de Saúde no “Seminário da estratégia de apoio integrado à gestores e profissionais de saúde dos municípios no fortalecimento das ações de combate ao Aedes e suas consequências”, que é uma demanda importante para todos, e possibilite que possamos trabalhar no Controle de Mosquitos em áreas privadas.

 

Toda essa agenda de atividades, gera custos significativos que, embora reembolsados pela FEPRAG, não custeia o valioso tempo de cada empresário que se dedica a isso, deixando suas empresas para tratar de temas necessários para o Setor como um todo.

E falando em reembolso, contamos com uma lista de espera. Isso mesmo. Além de dedicarem tempo e suor, bancam do bolso as idas a Brasília para aguardarem o reembolso conforme arrecadação da FEPRAG.

 

Hoje, menos de 50% das Associações Regionais conseguem manter em dia as contribuições com a FEPRAG.

Mas mesmo que conseguissem, é insuficiente, sendo que a grande maioria delas tem baixa arrecadação e consequentemente baixo repasse, muitos empresários se comprometeram a ajudar e da mesma forma, não o fizerem, precisamos corrigir isso.

 

Por isso a campanha visando Doações dos “EMPRESARIOS” à FEPRAG.

 

Não podemos confundir pequenos empresários com empresários medíocres, que não conseguem ver a necessidade e os benefícios ao setor, da buscar melhorias e conquistas que estão sendo feitas, muitos aguardam que os outros resolvam no seus problemas mais não se comprometem em nada, vejo com muita preocupação em nosso setor as empresas que não conseguem disponibilizar R$ 60, 00 ou R$ 100,00 por mês para ações tão importantes, qual será seu futuro?

 

Se cada empresário do Seguimento se comprometer com uma baixa contribuição mensal, o fluxo de caixa da FEPRAG se equilibra e poderemos interromper essa humilhação de sazonalmente ‘passar o chapéu’ para honrarmos com as despesas.

 

Então… vamos deixar toda as conquistas pra trás e parar com as ações federativas, abandonando as possibilidades de melhoria pro setor que nos acenam? Ou vamos continuar mostrando nossa IMENSA capacidade de união e empreendedorismo, que fez com que chegássemos tão longe? Todos sabem de suas dificuldades até hoje como empresários e que estas não desaparecerão sozinhas, sempre teremos novas demandas e novas conquistas.

 

Comprometa-se:

CENSÃO PELA FEDERAÇÃO

Para contribuir com R$ 100,00 mensais = http://pag.ae/bckNstS

 

SESSENTÃO PELA FEDERAÇÃO

Para contribuir com R$ 60,00 mensais = http://pag.ae/bkkBTLH

 

Para contribuir com outro valor = https://pag.ae/bdkGM8Y

 

Copie os Links e cole na URLL que direcionara para a doação.

 

Caso queira outro meio que não seja Cartão, por favor, envie e-mail para financeiro@feprag.org.br  informe o valor e meio de cobrança desejados para lhe enviarmos um link específico com as características que você definir.

 

Todas as contribuições são para a conta da FEPRAG junto ao PAGSEGURO e serão divulgadas.

Você pode interromper a contribuição mensal quando quiser, mais faça sua parte.

 

Aqui são colocações duras, mais necessárias, de quem este por dois anos peregrinando no Congresso Nacional e sabe das dificuldades, o reconhecimento de muitos pelos serviços sempre foram bem vindos, e agradecemos, mais é o comprometimento integral e também Financeiro é que manterá a máquina da FEPRAG funcionando.

 

Denilson Lehn Ex-presidente FEPRAG.

Empresas Especializadas no Controle de Vetores e Pragas podem atuar no Programa de Combate à Dengue

A conquista pela FEPRAG junto ao Ministério da Saúde e o Programa Nacional de Controle a Dengue do importante espaço para que os Profissionais de Controle de Vetores e Pragas possam atuar com segurança no Controle dos Vetores Transmissores de Doenças (Aedes aegypti), vem para fortalecer o segmento e ampliará muito o campo de atuação das Empresas Especializadas, criando demanda imediata na ampliação de atuação dos atuais Contratos de Manejo Integrado de Pragas, nos atuais cliente e em novos Contratos.

 

Com a nova perspectiva de atuação faz-se necessário a Capacitação imediata dos Profissionais que desejarem realizar este tipo de serviços e nas Endemias emergentes no pais, para que esta força complementar venha a somar com nas ações já realizadas pelo setor Público, para que não haja conflitos de informações e interesses, listaremos os principais pontos a serem observados para se habilitar os Profissionais e Empresas conforme a Nota Informativa Nº 120, de 2016/CGPNCD/DEVIT/SVS/MS.

 

O estabelecimento de parceria para que as empresas de controle de pragas possam atuar no controle dos vetores transmissores de doenças pode ocorrer, desde que seja feita a pactuação tripartite no âmbito do Grupo Técnico de Vigilância em Saúde da Comissão Intergestora Tripartite (GTVS-CIT) e sejam atendidos os seguintes critérios:

 

– As Empresas de Controle de Pragas devem estar devidamente registradas e seguir as recomendações da RDC 52/2009 da ANVISA, que dispõe sobre o funcionamento de empresas especializadas na prestação de serviço de Controle de Vetores e Pragas Urbanas e dá outras providências.

– As Empresas devem estar cadastradas junto ás Secretarias Municipais de Saúde (SMS) relativas à sua localidade de atuação.

– Deverão ser enviados relatórios ás Secretarias Municipais de Saúde (SMS), com informações sobre as ações realizadas, com periodicidade e formato definidos pela SMS.

– Os Técnicos das Empresas interessadas, deverão passar por orientação da SMS, recebendo informações sobre inseticidas a serem utilizados, registros das visitas para fim de avaliação e monitoramento e temas relativos à segurança no uso dos diversos inseticidas e equipamentos.

 

Muito importante a capacitação para que as ações realizadas não venham a comprometer o Monitoramento e registros de levantamento de índice

 

ÁREA DE ATUAÇÃO: A ação dessas Empresas (Empresas Especializadas) deve ser restrita a condomínios residenciais verticais, horizontais e outros ambientes privados, como da indústria e comércio.

 

Com a delimitação da área de atuação estaremos podendo elaborar nas áreas Privadas os Programas de Gerenciamento e Prevenção no controle do Aedes aegypti, atendendo uma demanda invisível que existia no Combate, havia limitação de uso de recursos nas área Particulares Privadas Comerciais e Industrias que será suprida com nossa atuação.

Alerto que o cumprimento rigoroso e sistemático da RDC 52/2009 da ANVISA que trata da atuação das Empresas Especializadas no Controle de Vetores e Pragas, será fundamental para a manutenção e viabilidade da parceria, principalmente com relação a Capacitação, Registros e Publicidade.

 

Neste sentido o Pragas & Eventos sai na frente com Cursos de Capacitação para Profissionais de Saúde Pública e Controle de Vetores e Pragas a serem realizados em todo o pais e já iniciando este ano e com objetivo de levar a Capacitação para todos os Estados em 2017, já temos agendado:

 

Cascavel/PR – 11 e 12 de Novembro – Módulos I e II

02 e 03 de Dezembro Módulos III e IV.

Florianópolis/SC  –  15 a 17 de Janeiro de 2017 – Módulos I, II e III e IV.

Porto Alegre/RS  –  15 e 17 de Fevereiro de 2017 – Módulos I, II e III e IV.