Dengue, casos autóctones merecem atenção prioritária de controle

Examinando Aedes

Casos autóctones de dengue são considerados quando a doença foi adquirida dentro do Município, ou seja, o paciente não teve histórico de viagem para outros locais, isto significa que há presença de mosquitos contaminados naquela localidade onde o paciente reside ou trabalha, neste caso é importante que as ações de bloqueio sejam realizadas o mais rápido possível, evitando a dispersão do vetor.

As ações de bloqueio devem ser prioritárias nesses casos.

O bloqueio consiste na utilização de inseticida, conforme delimitação espacial preconizadas, porém além desta ação também são necessários inspeções e eliminação mecânica de criadouros. A população deve ser informada sobre o número de casos, sua localidade e as ações que estão sendo desenvolvidas, uma vez que o mosquito é domiciliado e o seu desenvolvimento ocorre em criadouros no interior das residências, para que permita o acesso dos profissionais e participe efetivamente na eliminação de criadouros.

Estas ações integradas garantem a redução do número de vetores e consequentemente o bloqueio da transmissão viral.

A preocupação maior com casos autóctones é a ampla capacidade de dispersão do vetor. Especialmente neste período do ano em que ocorre o aumento considerável das temperaturas e a frequência maior de chuvas, tornando o ambiente propício ao aumento da densidade e sobrevivência dos vetores adultos, elevando a disseminação viral. Momento em que os serviços devem ficar em alerta quando da ocorrência de casos, principalmente autóctones.

Esses ainda servem de alerta para risco de epidemia, principalmente quando os índices de infestação no Município estiverem acima do preconizado, ou seja, se já está em risco e apresenta a circulação viral aumenta a probabilidade de novos casos, de forma rápida.  

Os serviços de controle de vetores Municipais devem estar estruturados de forma a garantir as ações de Vigilância em Saúde, priorizando a notificação e investigação desses casos bem como as ações de campo em tempo oportuno, tornando efetivas as estratégias de prevenção.

Autor: Comunicação Pragas e Eventos

Você encontrou algo no nosso site que parece estar incorreto?
Deseja nos enviar alguma crítica ou sugestão sobre ele?
Basta entrar em contato conosco pela secção de comentários aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *