Necessidade de Conhecimento em Áreas de Segurança do Alimento

0
101

Instalações de fabricação e logística de áreas sensíveis são propícias na proliferação de pragas. Sua presença gera sérios prejuízos para o comércio, fábricas e produtos, resultando em riscos na saúde e vulnerabilidades na imagem da empresa.

O incremento da preocupação nos temas da Qualidade, Saúde, Segurança e Sustentabilidade, reforça a evolução do Controle Integrado de Pragas, que exige trabalho constante e abrangente, de ações preventivas e corretivas em evitar infestações de pragas sinantrópicas – do ambiente urbano em que convivemos. Conhecer a legislação vigente e os métodos de controle de pragas é fundamental para a sobrevivência e crescimento das empresas envolvidas com alimentos e correlatos. Exigências internacionais Codex Alimentarius, e certificações ISO 22.000, FDA, BRC, FSSC, são inexoravelmente aplicadas.

Ações de prevenir riscos, perigos e vulnerabilidades em todas as fases é condição básica. Manejo de Pragas Urbanas se integra perfeitamente a programas HACCP (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle), 5S, GMP (Boas Práticas de Fabricação), Gerenciamento de riscos, PAS 220, FSMA e Food Fraud, certificação ISO 22.000, GFSI, etc. O problema de infestação por pragas em setores de alimentação, fármacos, cosméticos, embalagens e áreas sensíveis gera ocorrências críticas.

São as Não Conformidades que põe em terra contratos comerciais. Mídia e redes sociais exploram com insistência casos de contaminação, reforçando só aspectos negativos. Contaminação de alimentos é inafiançável e o reflexo de um trabalho mal feito macula para sempre o fabricante e o mau prestador de serviço envolvido que deveria proteger o ambiente.

Rigorosos padrões de Qualidade, Segurança e Saúde colocam sempre em realce ações preventivas – as legislações federal e estaduais preconizam. Atitudes pró-ativas e conhecimento sobre as pragas são absolutamente imprescindíveis para assegurar um produto e serviço seguro e saudável, íntegro e sem risco. A rastreabilidade exige prestadores de serviço profissionais capacitados, afiliados a entidades idôneas. O Hazard Analysis Critical Control Point (HACCP) é palavra chave hoje. Cabe a todos que buscam ser bons profissionais – aprender – suprir a indispensável necessidade de conhecimento e experiência. Um ínfimo detalhe não atendido leva a perda de produtos, pequena falha compromete instalações e funcionários, jogando na lama imagem e a credibilidade da empresa, além de ações indenizatórias, responsabilidade civil e até fechamento do negócio.

Quem não se atualizar nos temas Food Safety terá carreira efêmera!

 

NOSSO COMPROMISSO ATRAVÉS DO PORTAL WWW.PRAGASEEVENTOS.COM.BR

Nossa proposta é promover aprendizado a todos, fomentando ações efetivas – sermos articuladores de diferencial em conhecimento !

Qualidade precisa estar fundamentada em sólidos protocolos sanitários. Tais alicerces constituem as Boas Práticas (as famosas Umbrella’s GMP), os PPHO’s (Procedimentos Padrão de Higiene Operacional) ou POPs. A ‘globalização’ técnica soma à ISO 22.000 normas denominadas PAS 220, protocolos mandatórios na certificação de áreas processadoras de alimentos / cosméticos / fármacos e embalagens. Controle Integrado de Pragas (CIP) tem papel fundamental no processamento de alimentos. Um produto ou serviço íntegro e saudável não pode permitir risco de infestações. HACCP não se faz sem GMP – Boas Práticas.  E GMP não se faz sem um Controle de Pragas Sinantrópicas eficaz. Os focos do portal são a Saúde Ambiental e Pública, através de cursos de capacitação e EAD em todo Brasil !

Pense Nisso! Aguarde aqui nossa coluna ‘Segurança dos Alimentos’

screenshot_1

Prof. José Carlos Giordano
JCG Assessoria em Higiene e Qualidade
umbrellagmp@terra.com.br
11 9.9977-5949
www.jcgassessoria.com.br

Há 22 anos trabalhando pelas Boas Práticas
Há 37 anos ensinando e aprendendo Qualidade e Higiene

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here