Pais querem galinhas em escola de Ribeirão para combater escorpiões

- Pragas e Eventos

Pais de alunos da Escola Municipal Ana Gabarra, no Jardim Irajá, na Zona Sul de Ribeirão Preto, querem comprar galos e galinhas para combater os escorpiões encontrados na unidade de ensino. Uma criança já chegou a ser picada pelo aracnídeo no local, e os pais temem pela segurança dos alunos, que tem até 6 anos de idade.

A preocupação dos pais se intensificou na última sexta-feira (1º de março), quando o pai de estudante de 5 anos de idade encontrou um escorpião subindo pelo muro do parquinho da escola. A inquietude dos pais se agravou, já que no mesmo lugar, outra criança já havia sido picada no ano passado.

Na ocasião, os pais solicitaram a diretoria da escola que fosse tomada uma providência, como a limpeza da área em que o escorpião foi encontrado e a dedetização do prédio, o que foi atendido, porém, o problema voltou a persistir.

A bióloga Aline Labachi, mãe de um aluno na mesma unidade de ensino, conta que apenas a dedetização não é o suficiente, já que não atinge diretamente os escorpiões e, sim, os insetos que podem servir de alimento para eles, o que faz com que saiam ainda mais das tocas, aumentando o risco de quem frequenta o local.

“Chamei os pais, falei que tínhamos de fazer alguma coisa”, afirma Aline, que conta que a escola já recebeu um galo e uma galinha para combater o problema, porém, por reclamação dos vizinhos, em razão do barulho produzido, o galo teve de ser retirado, já uma galinha fugiu, após começar a receber alimentação fora da escola.

A bióloga sugeriu que fosse comprada mais uma leva de 10 galinhas para que elas possam se alimentar dos escorpiões e diminuir o risco delas picarem as crianças. “Eu vou comprar essas galinhas. A escola concordou. Para elas não fugirem, vamos colocar placas no redor da escola para que não alimentem as galinhas, porque elas servem para segurança dos alunos”, relata Aline.

“Sabemos que não depende apenas da diretoria da escola, depende também da Prefeitura. Mas, brigamos para melhorar a situação. Não é o primeiro episódio. O que puder fazer para ajudar, nós vamos fazer. Porque está todo mundo apavorado”, conta a secretária Geisa Ferranti, mãe de uma menina de 5 anos, que estuda na unidade de ensino.

Outro lado

Por meio da assessoria de comunicação, a Secretaria Municipal da Educação informa que após o escorpião ter sido encontrado, foi realizada uma dedetização na segunda-feira (4). Além disso, foram tomadas providências, como a varredura da escola por agentes de controle de vetores.

A pasta ainda informa que no local já existem quatro galinhas e afirmou que todas as escolas da rede municipal recebem dedetizações periódicas, além da limpeza de áreas internas para evitar o aparecimento de escorpiões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *