Pesquisa mostra que bactérias amazônicas podem controlar mosquitos transmissores da dengue e malária

FOTO 1 MATERIA NUNO LOBO CONTROLE DOENCAS 768x576 1 - Pragas e Eventos

Bactérias encontradas na Amazônia apresentam propriedades capazes de controlar a ação de larvas dos mosquitos que transmitem a dengue, zika, chikungunya e malária. O estudo está sendo desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia – Inpa e deve ser concluído em 2023.

O estudo constatou que substâncias metabólicas produzidas por uma linhagem da bactéria “Bacillus sp” apresentam 100% de ação tóxica que neutralizam a ação de larvas dos mosquitos Aedes aegypti e Anopheles darlingi.

FOTO 2 MATERIA NUNO LOBO CONTROLE DOENCAS 768x1024 1 - Pragas e Eventos
Realização de testes no laboratório de biotecnologia do Inpa (Foto Divulgação)

Em relação à saúde pública, as doenças ocasionadas por agentes infecciosos causam diversos prejuízos sociais e financeiros à população. O coordenador da pesquisa, Ricardo Katak, ressalta que a manipulação desses agentes biológicos vai possibilitar um resultado promissor.

Os resultados obtidos pela pesquisa, até a fase atual, revelam a possibilidade da descoberta de uma nova espécie Bacillus, após o monitoramento e sequenciamento genético destas bactérias.

O doutor em Biotecnologia afirma que vai haver um grande avanço no controle de doencas ocasionadas por transmissores infecciosos.

Participam também do projeto, pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas – Ufam, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas – Ifam e doutores da Fundação de Vigilância em Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *