Uma ação interditou um supermercado e recolheu 3,2 toneladas de alimentos vencidos ou armazenados de forma imprópria para o consumo, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana. No estabelecimento, os fiscais da Vigilância Sanitária encontraram até pombos e baratas dentro da área de produção de pães (veja vídeo). Essa é a terceira vez que o local é autuado em menos de um ano.

O supermercado fica no Setor do Afonsos. Durante a ação, conjunta da Vigilância Sanitária com a Superintendência de Proteção aos Direitos do Consumidor (Procon) e a Polícia Civil, foram encontrados chocolates com bolor, produtos fora da data de validade, alimentos fora da temperatura ideal de armazenamento e linguiças produzidas sem autorização dos órgãos responsáveis.

Um vídeo feito pelos fiscais mostram pombos andando livremente dentro da panificadora do estabelecimento durante a produção de massa. No local também foram encontradas baratas mortas. O depósito havia fezes e alimentos guardados próximos a produtos de limpeza e ossos de animais. Para tentar acabar com as pragas, os responsáveis colocavam veneno de rato em vasilhas dentro do supermercado.

Além dessas irregularidades, foram encontrados vários problemas na estrutura do prédio. Entre as falhas estavam infiltrações, paredes descascadas, fios expostos, prateleiras inadequadas e muita sujeira.

O advogado do supermercado informou ao G1 que o estabelecimento já começou a fazer as adequações necessárias para que os problemas identificados pela Vigilância Sanitária sejam corrigidos e o local seja reaberto.

Supermercado tinha fezes, baratas e várias irregularidades sanitárias, em Aparecida de Goiânia, Goiás (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Supermercado tinha fezes, baratas e várias irregularidades sanitárias (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O delegado Webert Leonardo dos Santos diz que as reclamações e denúncias contra o supermercado são constantes. “Em outubro de 2015, ele foi autuado e foram recolhidas duas toneladas de alimentos. Em janeiro desse ano, foi feita uma nova autuação. Em março, o supermercado mudou de nome e também de dono, mas acreditamos que o antigo dono continue sendo o responsável de fato pelo local”, explicou o delegado Webert Leonardo dos Santos.

O Procon informou que a unidade foi interditada, autuada e que ela responderá a um processo administrativo. A multa pode variar de R$ 558 a R$ 8 milhões, dependendo do tamanho do estabelecimento.

“O que chama a atenção é que só nesse supermercado apreendemos uma quantidade que é quase 30% do que foi apreendido em todo ano passado em Goiás. Em 2015, foram apreendidos 12 toneladas e só nesse supermercado, 3,2 toneladas”, disse o gerente de fiscalização do órgão, Marcos Rosa.

Todos os produtos foram recolhidos, inutilizados e descartados no aterro sanitário de Aparecida de Goiânia. O estabelecimento vai permanecer interditado até que sejam feitas todas as adaptações necessárias e que seja feita uma nova perícia.A polícia vai investigar se existem mais pessoas envolvidas. Os responsáveis vão responder por crime nas relações de consumo. A pena varia de 2 a 5 anos.

Alimentos vencidos e em más condições de armazenamento são recolhidos de supermercado em Aparecida de Goiânia, Goiás (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Mais de 3 toneladas de alimentos foram recolhidas de supermercado (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here