Brumadinho: Justiça pede controle de pragas e vetores de doenças

No dia 25 de Janeiro de 2019 uma barragem da mineradora Vale se rompeu em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Até a tarde desta quarta(30), 99 corpos foram resgatados da região atingida pelo rompimento da barragem da Vale na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, município na zona metropolitana de Belo Horizonte, segundo os bombeiros.

Após pedido do governo de Minas Gerais à Justiça pela responsabilização da empresa pelo desastre ambiental em Brumadinho, o juiz plantonista no TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), Renan Chaves Carreira Machado, bloqueou na noite desta do dia 25 de janeiro de 2019, o montante de R$ 1 bilhão em contas bancárias da Vale. Leia a íntegra.

Ainda na decisão de Renan Chaves fica estabelecido que a empresa:

  • cumpra o protocolo para desastres, para estancar os vazamento da barragem em até 5 dias;
  • inicie a remoção do volume de lama lançado pelo rompimento da barragem;
  • faça o mapeamento para elaborar 1 plano de recomposição da área afetada;
  • adote medidas para evitar a contaminação de nascentes;
  • controle a proliferação de pragas e vetores de doenças.

Leia o trecho sobre o controle de pragas e vetores:

” v. Controlar, imediatamente, a proliferação de espécies sinantrópicas (ratos, baratas, etc) e vetoras de doenças transmissíveis ao homem e aos animais próximos às residências e comunidades, por si ou por empresa especializada devidamente contratada, comprovando-se a adoção das medidas em juízo no prazo de 05 dias; “

Autor: Comunicação Pragas e Eventos

Você encontrou algo no nosso site que parece estar incorreto?
Deseja nos enviar alguma crítica ou sugestão sobre ele?
Basta entrar em contato conosco pela secção de comentários aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *