VÍDEOS: dedetização na antiga reitoria da UFSM causa intoxicação e interdição do prédio

O prédio da antiga reitoria da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), na Rua Floriano Peixoto, no Centro da cidade, foi interditado pelo Corpo de Bombeiros por volta das 9h desta quinta-feira por causa de uma dedetização. Conforme o tenente Ivan Flores, que coordena a operação, os bombeiros foram avisados de que funcionários estavam saindo do prédio depois de se sentirem mal.

_ Já retiramos de 10 a 12 pessoas e encaminhamos para atendimento médico no PA do Patronato e Husm. O que sabemos até agora é que houve uma dedetização no prédio, e as pessoas teriam inalado o produto. Não sabemos ainda qual produto foi usado e aguardamos a chegada do engenheiro químico para saber mais detalhes – afirmou o tenente.

Além dos bombeiros, ambulâncias da Samu ajudaram na remoção dos intoxicados. Seis pessoas foram levadas para o Pronto-Atendimento do Patronato (PA) e quatro para o PS do Hospital Universitário de Santa Maria (Husm). Ainda não há informações sobre o estado de saúde dos internados no PA do Patronato. O Husm informou que o estado dos pacientes é estável e eles passam por exames. O trânsito está lento na região, mas não foi interrompido.

A INTOXICAÇÃOFoto: Natália Venturini (Diário)
Bombeiros e Samu prestaram atendimento aos feridos

O prédio da antiga reitoria é ocupado por alunos, servidores e professores da UFSM e funcionários da Sulclean, empresa contratada para fazer a limpeza do local. Conforme testemunhas, todas as pessoas que usam o prédio foram avisados que haveria a dedetização e orientados a não ir ao local hoje, exceto os funcionários da Sulclean, que teriam recebido a autorização de ir trabalhar.

Por volta das 8h30min, cerca de 20 pessoas chegaram para trocar de roupas e se dirigiram ao 7º andar do prédio. Em seguida começaram a sentir um cheiro forte e ter sintomas de náuseas e tontura. Assim que perceberam que poderia ser da dedetização, iniciaram a evacuação do préd

Confira a entrevista com uma das funcionárias da limpeza:

Conforme relatos de testemunhas, alguns alunos e professores da UFSM estavam no local fazendo trabalhos, mas conseguiram sair do prédio. Veja o relato do estudante Diordinis Baierle dos Santos, 19, que ajuda no setor de contabilidade da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), que fica no prédio da antiga reitoria. Ele foi um dos últimos a sair do prédio e conta que ficou apavorado.

Por volta das 10h45min, uma caixa com o produto utilizado para fazer a dedetização foi removido de dentro do prédio.
Veja na imagem abaixo:

Foto: Victoria Debortoli (Diário)

INVESTIGAÇÃO
Conforme o médico veterinário da Vigilância em Saúde da prefeitura de Santa Maria, Carlos Flávio da Silva, a Vigilância fará uma investigação para saber se houve irregularidade na dedetização, qual o produto que foi utilizado e se o processo estava em conformidade com as normas previstas.
Segundo ele, nesses casos, a recomendação é que haja uma notificação anterior aos usuários do local e que o prédio não seja ocupado por 24 horas.

O QUE DIZ A UFSM
A reitoria da UFSM informou que o reitor dará uma coletiva para a imprensa às 11h e falará sobre o fato.

Conforme o Coordenador de Servições Gerais substituo da UFSM, Jonas Carniel de Macedo, não havia nenhum pedido de dedetização para a antiga reitoria para ontem e hoje. Ele explica que esses serviços são feitos geralmente no final de semana para, justamente, evitar o contato das pessoas com o produto utilizado. Segundo ele, para que a dedetização seja realizada, um funcionário do prédio precisa solicitar para a Coordenadoria de Serviços Gerais que, por sua vez, aciona a Sulclean.

– Não há nenhum pedido aqui. Fomos surpreendidos. Recebi a informação de que existe um memorando pelo Departamento de Odontologia solicitando o serviço para a Sulclean. Não tenho a cópia desse documento. Isso pode acontecer, mas a empresa que realiza o serviço deve avisar que o prédio ficará fechado e que o serviço vai ser feito, a final os produtos precisam de 24 horas para agir. Pesquisei rapidamente nos registros e todas as solicitações de dedetizações que temos são para finais de semana, feriados ou sextas-feiras. Depois que o serviço é realizado, recebemos a nota fiscal e efetuamos o pagamento. A dedetização não é um serviço periódico. É um serviço por demanda. Estou indo agora na Reitoria informar o Gabinete sobre o que esta acontecendo.

O QUE DIZ A SULCLEAN
Segundo o diretor responsável pelos contratos da empresa com a UFSM, Darlan Carlan, a Sulclean fará um processo investigativo para saber o que houve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *