Campinas inova no combate ao Aedes aegypti com ajuda de satélite

Sistema de georreferenciamento facilita a definição de ações, identificando áreas críticas que exigem mais atenção do poder público.

0
26

O combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, conta agora com uma ferramenta digital desenvolvida pela Prefeitura e pela IMA (Informática de Municípios Associados). O projeto tem a Embrapa Monitoramento por Satélite como parceira na elaboração dos relatórios para análises.

O software “Arboviroses Campinas” foi desenvolvido por especialistas da IMA e da Secretaria Municipal de Saúde. É destinado à Administração Municipal para agilizar as ações preventivas e de bloqueio ao Aedes.  Com isso, um trabalho que antes era feito manualmente, agora é informatizado, reduzindo significativamente o tempo para reunir as informações necessárias para combater o mosquito.

“Este trabalho representa um esforço conjunto de várias áreas no controle das arboviroses na cidade. É a tecnologia a favor da saúde e da qualidade de vida da população”, afirma o prefeito Jonas Donizette. “Estamos vencendo a batalha, mas não podermos baixar a guarda. Em janeiro deste ano, tivemos apenas 4 casos de dengue confirmados na cidade. No ano passado, foram 400”, destaca.

“Esse aplicativo foi pensado para as necessidades da equipe que atua no combate às doenças em Campinas, mas é versátil. Pode ser adaptado para outras cidades também”, explica o presidente da IMA, Fernando Garnero. O software foi utilizado pela primeira vez no 2º Mutirão Regional de Combate ao Aedes aegypti, no último dia 18.

Trata-se de um sistema georreferenciado que facilita a definição de ações, identificando áreas críticas que exigem mais atenção do poder público. O programa nasceu da demanda do comitê de combate a arboviroses, servindo como base para o aplicativo gratuito ‘Alerta Dengue’, criado pela IMA e com foco na orientação da população. Pode ser baixado em celulares e tablets das plataformas Android e IOS.

O programa “Arboviroses Campinas” ganhou diversas funcionalidades que o tornou valioso para traçar estratégias de saúde pública. Integrado ao Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação), do Ministério da Saúde, a ferramenta da IMA permite a geração de mapas com diferentes informações, como localização de casos por endereço, mapa de calor por regiões endêmicas, análise de arboviroses, resumo para agravos (tipos de doença), entre outros.

“A ferramenta permite a localização geográfica precisa de cada caso suspeito e também a visualização das áreas com infestação pelo Aedes aegypti. Além disso, permite também a visualização das áreas de maior risco de contaminação”, explica Tessa Roesler, coordenadora de combate às arboviroses do Devisa Campinas.

Utilizando apenas softwares abertos para desenvolver, como PHP, servidor Apache, banco de dados Postgresql, com frameworks Bootstrap e Zend e plataforma Android, a IMA mostra também a sua preocupação com a redução dos custos de desenvolvimento e manutenção.

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here