Dengue, zika e chikungunya: Sesau divulga informe técnico

0
46

A Secretaria de Saúde divulgou, ontem (22), o informe técnico referente às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti: dengue, zika vírus e febre chikungunya, para o período de 2016/2017.

Até agora, foram realizadas 231 notificações de dengue, sendo nove casos positivos (autóctones), 90 casos descartados e 132 suspeitos (aguardando período de coleta ou resultado de exame).

Com relação à febre chikungunya, foram realizadas 22 notificações, sendo sete descartados e 15 casos suspeitos.

Também foram realizadas 21 notificações de zika vírus, sendo um caso confirmado (autóctone), nove casos descartados e 11 casos suspeitos.

Sintomas
Dengue: paciente com febre alta, acompanhada de dor de cabeça, dor no fundo dos olhos, dor muscular, dor nas articulações, manchas vermelhas na pele.
Febre chikungunya: paciente com febre de inicio súbito maior que 38,5° C, dores articulares intensa, acompanhada de dor de cabeça, fadiga, manchas vermelhas na pele.
Zika vírus: paciente com manchas vermelhas na pele, podendo ter febre ou não (normalmente febre baixa), conjuntivite sem secreção, dor e edema nas articulações.

Gestantes
A Secretaria de Saúde recomenda às gestantes consultas de pré-natal, a realização de todos os exames preconizados e recomendados pelo profissional médico, não consumir bebidas alcoólicas, não fazer uso drogas licitas e/ou ilícitas, não fazer uso de medicamento sem orientação do médico.

“É extremamente importante que as gestantes adotem medidas que eliminem a presença do mosquito Aedes aegypti. Retirar recipientes que tenham água parada, cobrir adequadamente os locais de armazenamento de água, vistoriar o quintal para eliminar qualquer tipo de local que possa acumular água”, frisou o secretário de Saúde, Reginaldo Andrade.

O Ministério da Saúde também recomenda o uso de roupas de cores claras, preferência calça e camisa de manga longa, uso de repelentes indicados para gestante. Quanto aos repelentes não há contraindicação de uso, desde que estejam devidamente registrados na Anvisa; as recomendações de uso descritas no rótulo do repelente devem ser seguidas.

Combate ao Aedes
Entre os dias 14 e 19 de novembro, os agentes comunitários de saúde e agentes de endemias realizaram 11.809 visitas domiciliares, em residências abertas. Em 3.750 residências não foi possível a vistoria, pois estavam fechadas ou recusaram a entrada dos agentes. Durante as visitas, os agentes orientam sobre a eliminação de focos e criadouros do Aedes aegypti, sobre a importância dos cuidados diários para evitar a proliferação do mosquito, coleta de larvas quando encontrado, tratamento com larvicida e orientações sobre as doenças.

Assessoria

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here