Estado e prefeituras traçam estratégicas para combate ao Aedes aegypti

0
10

Traçar estratégias para o combate do mosquito Aedes aegypti, vetor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. Esse foi o intuito do I Encontro Temático sobre Vigilância em Saúde, promovido pelo Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems/AL) e que contou com a participação de técnicos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau). O evento aconteceu nesta segunda-feira (13), no auditório do Conselho Regional de Medicina de Alagoas (Cremal), no bairro Pinheiro, em Maceió.

Isso porque, além das ações cotidianas que devem ser adotadas diariamente, a preocupação aumenta durante o Carnaval, uma vez que muitos municípios registram crescimento populacional durante os quatro dias de folia. Diante dessa realidade, segundo a superintendente de Vigilância em Saúde, Cristina Rocha, há possibilidade de haver o aumento dos criadouros do Aedes aegypti e, consequentemente, o aumento dos casos das doenças transmitidas por ele.

“Com a maior circulação de pessoas nas cidades, principalmente onde há tradição carnavalesca, também aumenta a quantidade de lixo que fica a céu aberto, como copos plásticos, garrafas pets. Esses locais são propícios para a reprodução do mosquito. Por isso, precisamos continuar com as ações de conscientização com os cidadãos, porque sabemos que as pessoas bem informadas estão preparadas para por em prática ações preventivas”, salientou a superintendente da Sesau.

Durante o encontro, Danielle Castanha, gerente de vigilância e controle das doenças transmissíveis, apresentou algumas explicações sobre o mosquito Aedes aegypti e informações sobre as doenças transmitidas pelo mosquito. “Nós devemos ter um novo olhar para esse problema tão conhecido pela população e isso tem sido feito com o auxílio de diversos entes públicos, como Defesa Civil Estadual, agentes de endemias e Exército Brasileiro”, disse.

Segundo Normanda Santiago, presidente do Cosems/AL e secretária de saúde de Santana do Ipanema, esse é o primeiro encontro de um trabalho que irá durar o ano inteiro. “O combate ao vetor dos vírus da dengue, zika e chikungunya é algo que vivenciamos todos os dias. Por isso é necessário um reforço permanente, principalmente junto à população de cada cidade do Estado”, salientou.

Estiveram presentes à reunião, além da direção do Cosems/AL e técnicos da Sesau, os coordenadores de vigilância em saúde e da atenção básica dos 102 municípios de Alagoas. Na oportunidade foi promovida uma discussão coletiva para mobilizar a população ao combate do mosquito Aedes aegypti.

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here