Leishmaniose: proteger quem nos protege

0
27

A Leishmaniose é uma doença de carácter crónico causada por um parasita denominado por Leishmania Infantum que se localiza, essencialmente, na medula óssea, gânglios linfáticos, baço, fígado e pele. O cão é o principal portador desta doença, estimando-se que, só em Portugal, Espanha, França e Itália sejam mais de dois milhões os cães afetados pelo vírus.

O diagnóstico correto só pode ser confirmado pelos médicos que analisam o estado do animal, e confirmam os sintomas através de análises laboratoriais. No entanto, é o próprio dono que pode ficar alerta a determinados sinais clínicos como o aumento dos gânglios linfáticos, a perda de peso e pelo, atrofia muscular, sangramento nasal, úlceras e descamação da pele, alterações nos rins, fígado e articulações, por exemplo.

Esta é uma doença de carácter crónico, onde o tratamento nem sempre é eficaz e existe necessidade de controlo regular de análises, mas nem tudo parece estar perdido.

A primeira vacina contra a Leishmaniose Canina baseada numa proteína recombinante e totalmente desenvolvida na Europa acaba de chegar ao mercado nacional. A LETIFEND é a quarta vacina contra a Leishmaniose Canina em todo mundo e vem destacar-se pela ausência de efeitos secundários para o animal.

Resultado de anos de investigação dos Laboratórios LETI, LETIFEND tem por base uma proteína quimérica com capacidade antigénica, por forma a proporcionar uma ferramenta avançada e eficaz na prevenção da doença, que pode ser instituída a partir dos seis meses de idade do cão.

Administrada em apenas uma dose anual (por forma a poder ser incluída nos protocolos de vacinação dos cães) começa a atuar vinte e oito dias após a sua administração e tem validade de um ano.

Apesar de ser um problema com cada vez mais casos registados em Portugal, os especialistas apontam ainda para alguma falta de informação por parte dos donos dos animais no que respeita à prevenção do mesmo, alertando para a fase entre abril e setembro, onde se regista o maior número de casos detetados.

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here