Nove crianças morrem vítimas de picadas de escorpião no interior de SP

Escorpiões estão infestando centros urbanos no interior de São Paulo. No último fim de semana, duas pessoas morreram vítimas de picadas.

Em uma casa em Santa Cruz do Rio Pardo, um morador encontrou um escorpião dentro do quarto. “Olha o que eu achei: um escorpião em cima do colchão”,

Em Bauru, vários escorpiões andavam no muro de um cemitério. A situação levou os vizinhos a caçar os bichos que se procriam na calçada. Um escorpião pode gerar até 50 filhotes. Uma das explicações para o aumento dos escorpiões está no desequilíbrio ambiental. Nas cidades, predadores como corujas, sapos e galinhas são raros. O descuido com a limpeza é outro fator. Os escorpiões se alimentam principalmente de baratas.

De janeiro a setembro de 2018, o Ministério da Saúde registrou mais de 90 mil acidentes com escorpiões no Brasil. A Região Sudeste lidera o ranking com quase metade dos casos.

O filho da Dulce de dez anos foi vítima de um escorpião. O menino está internado numa unidade de pronto atendimento. “Ele foi colocar o uniforme para ir para a escola, na hora que ele foi vestir o jeans, ele foi picado pelo escorpião. No susto ele deu um tapa na perna, no local da picada e o bicho morreu”, conta a manicure Dulce Cristaldo.

No interior de São Paulo, os ataques de escorpião têm assustado os moradores. E não é para menos. Até agora, nove crianças morreram vítimas de picadas. E em alguns casos, a ação do veneno foi muito rápida.

É o caso de Nicoly, de 9 anos, que morreu no último fim de semana. Ela morava em Bariri. A menina foi atacada no quintal da casa, recebeu o soro antiescorpiônico, mas teve várias paradas cárdio-respiratórias.

Em Araçatuba, Pablo, de 9 anos, também não resistiu ao veneno do bicho. Ele morreu 24 horas depois de ser internado.

A infectologista Geovana Nogueira de Lima diz quais são as orientações para quem for vítima da picada de um escorpião: “Lavar com água morna, sabão, se tiver ainda com muita dor pode tomar um analgésico de uso habitual, mas o principal é procurar por um atendimento médico”.

Autor: Comunicação Pragas e Eventos

Você encontrou algo no nosso site que parece estar incorreto?
Deseja nos enviar alguma crítica ou sugestão sobre ele?
Basta entrar em contato conosco pela secção de comentários aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *