Presidente Prudente adota georreferenciamento para combater o mosquito Aedes aegypti

Agentes de endemias participaram de treinamento nesta terça-feira (5), no Centro Cultural Matarazzo, para conhecer o sistema em fase de implantação.

0
71

Os 95 agentes de endemias que trabalham nas unidades da Secretaria Municipal de Saúde participaram nesta terça-feira (5) de um treinamento, no Centro Cultural Matarazzo, para conhecer o Sistema de Georreferenciamento que está em fase de implantação para combater os focos do mosquito Aedes aegypti em Presidente Prudente.

O sistema estará totalmente ativo em 2018 , quando serão disponibilizados os equipamentos para os agentes trabalharem e, desta forma, automatizar o processo de vistoria das residências.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Valmir da Silva Pinto, o sistema trará mais agilidade e confiabilidade e irá ajudar a combater de forma mais rápida e eficiente as infestações do mosquito.

“Todos os agentes comunitários de saúde poderão participar e ajudar a detectar os focos, pois para fazer os bloqueios é necessário ter informações precisas sobre a localização dos focos. Este sistema é mais rápido e preciso e irá nos ajudar a nortear as ações”, disse o secretário.

O idealizador do programa, Celso Tatizana, que é diretor da Caltech Informática, disse que o sistema é totalmente integrado, ou seja, “conversa” com os dados da Superintendência de Controle de Endemias dos Estado de São Paulo (Sucen).

“Todos vão poder enviar informações diretamente para o sistema da Sucen, por meio dos tabletes ou dos celulares, e, o mais interessante, vamos economizar tempo, papel, e mais, não é necessário estar em locais onde exista sinal de internet, pois o sistema armazena os dados e envia quando está conectado a uma rede, ou seja, não há retrabalho por falta de sinal”, afirmou Tatizana.

O presidente do Comitê de Combate à Dengue e à Leishmaniose, Carlos Rocha Santana, afirmou que o sistema vai permitir aumentar o número de pontos visitados por dia e que até mesmo moradores poderão baixar o aplicativo e indicar os focos de larvas.

Com a medida, Presidente Prudente será o primeiro município do país a implantar um sistema totalmente digitalizado e em tempo real para combater focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da febre chikungunya, do zika vírus e da febre amarela.

Agentes de endemias participaram de treinamento nesta terça-feira (5) (Foto: Bete Gasperi/Secom) Agentes de endemias participaram de treinamento nesta terça-feira (5) (Foto: Bete Gasperi/Secom)

Agentes de endemias participaram de treinamento nesta terça-feira (5) (Foto: Bete Gasperi/Secom)

Deixe seu Comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here